BABEL À ESQUERDA

DA POLITICA À LITERATURA, CIÊNCIAS, ACONTECIMENTOS E ADENDOS.

De trapaça em trapaça: tentativa reacionária e pseudo-desenvolvimentista do PT para continuar a iludir a população trabalhadora

O ex-quase-reformista PT, pressionado de todos os lados para fazer algo, deitou falação neste dia 6 de agosto, com um programa de televisão tecnicamente bonito (e certamente caro), para convencer os trabalhadores de suas inaparentes qualidades. Na realidade, nem isto: o conteúdo do programa é desenvolvimentista, mostra imagens e tem tom de total irrealismo. Ao responder recentemente à pergunta “O governo do PT é de esquerda?”, Zé Maria, presidente do PSTU, declarou: “O cenário…em que o governo do PT seria de esquerda e que, por isso, é atacado pela direita, não tem nada a ver com a realidade. O PT tem, sim, origens na esquerda… o seu governo é (hoje) uma composição com os setores fundamentais da direita brasileira… : o sistema financeiro com Joaquim Levy (Bradesco), o latifúndio e o agronegócio, com Katia Abreu (CNA e UDR); os empresários da indústria, com Armando Monteiro (CNI)”.

Os argumentos de marqueteiro do filme de marqueteiro não pegam. É patente que o governo Dilma defende os mesmos interesses que a direita: PPE, fazer os trabalhadores pagarem pela crise, ausência de taxação de fortunas, ataques repetidos aos direitos sociais, conivência com o agro-negócio, com os banqueiros etc… Em momentos de disponibilidades, os reformistas cedem ao movimento operário e popular algumas migalhas, mas hoje fazem exatamente aquilo que quer o grande capital: fazer os trabalhadores pagarem pela crise (ataque ao seguro desemprego, abono do PIS, pensão por morte, ataques à aposentadoria, o mal chamado Programa de Proteção ao Emprego, PPE). Este governo atende aos interesses dos bancos e das grandes empresas.

Parte importante do movimento sindical é ainda controlada pelo PT (CUT), cujo programa timidamente reformista foi jogado às urtigas. Sindicatos mais à esquerda (CSP-Conlutas) estão ganhando mais espaço e peso político; propõem Frente Única em defesa dos direitos dos trabalhadores e não para cobrir a política abertamente pró-capitalista e anti-operária do que foi um partido quase reformista. Que a CUT, a CTB, o MST rompam com o governo Dilma, que a Força Sindical rompa com seu apoio a Aécio e Eduardo Cunha e que estas centrais sindicais preparem e convoquem a greve geral que tem sido defendida pela CSP-Conlutas. Esta greve geral enfrentará o governo do PT, de Temer e Cunha do PMDB, a oposição burguesa encabeçada pelo PSDB e o grande empresariado. Assim serão derrotados o ajuste fiscal e os ataques aos direitos, é por esse caminho que a esquerda precisa se unir para defender os trabalhadores e apresentar uma alternativa para o país. Esta alternativa deverá ser de classe e socialista, um governo dos trabalhadores sem patrões e sem corruptos.
As organizações que querem lutar contra a direita e os ataques aos interesses dos trabalhadores precisam na realidade romper com o governo.

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 6 de agosto de 2015 por em Geral e marcado , , , , .

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 14 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: